A importância da Confissão na preparação para a Páscoa

A Quaresma é a época do ano em que Deus nos chama a preparar o nosso coração e a purificar a nossa alma para que estejamos prontos para receber o Nosso Senhor na Sua gloriosa vinda na Páscoa. Assim, não há tempo para atrasos, pois a Bíblia diz:

“Eis que agora é o tempo aceitável; eis que agora é o dia da salvação.”

2 Coríntios, 6: 2.


Durante este tempo litúrgico, todos os dias, devemos tentar fazer um bom exame de consciência, perguntando a nós mesmos:


§ Existe alguma maneira de me livrar da mediocridade espiritual, da indiferença espiritual em que me encontro na maior parte do tempo?

§ Existe algo em minha vida agora que não agrada a Deus?

§ Existe algum pecado habitual que está separando meu coração da amorosa graça de Deus?

§ Existe algo que eu preciso confessar?

§ Estou crucificando Nosso Senhor de novo ao viver em meus pecados?


Quando Jesus chamou os doze apóstolos e começou a enviá-los para pregar, Ele deu-lhes autoridade e poder para curar os enfermos e ressuscitar os mortos e dar vista aos cegos, o poder para expulsar demônios e fazer aleijados andarem - o poder de trazer cura para todo tipo de sofrimento humano. Porém, o Evangelho também nos diz que, apesar dessa autoridade incrível, a missão mais importante que Cristo deu aos apóstolos foi pregar a necessidade do arrependimento. “Arrependimento” é uma das palavras mais importantes e mais utilizadas em toda a Sagrada Escritura.


Lembremo-nos das palavras de Jesus:

“Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”.

Mateus, 4:17.


E Nosso Senhor disse aos apóstolos que, em qualquer lugar onde as pessoas se recusassem a ouvir essa palavra e agir de acordo com ela, eles deveriam deixar aquele lugar e sacudir o pó de seus pés como um testemunho contra aquelas pessoas (veja em Mateus,10:14.) Cada mensageiro já enviado por Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento, foi enviado para pregar uma mensagem de arrependimento. Ninguém pode ser discípulo de Cristo, ou mesmo reivindicar o nome de “cristão”, a menos que esteja disposto a se arrepender.


Dessa forma, quando nos preparamos para a confissão durante o período da Quaresma, é natural nos preocuparmos com os pecados que podemos ter esquecido no momento da confissão, mas a mente humana não é como um computador que pode acessar todos os dados de que precisa no momento certo. Nossas memórias são obscurecidas por nossa natureza humana decaída. Quando você fez uma boa confissão, todos os seus pecados estão perdoados, desde que você tenha um coração contrito. Deus vê o interior de nós. E se mais tarde você se lembrar de algum pecado que se esqueceu de confessar, traga-o à tona em sua próxima confissão.


Em vista disso, a ideia é evitar completamente o pecado mortal e buscar a verdadeira santidade de vida! O objetivo é nos tornarmos santos! Aqueles que caíram nessa mentalidade complacente com Deus não podem se esquecer do poder que a graça sacramental da confissão traz, pois é uma barreira eficaz contra os pecados e um meio muito eficiente para a santidade pessoal. É neste sacramento que “entregamos o passado à misericórdia de Deus, o presente ao Seu amor e o futuro à Sua providência”, nos recordando, assim, dessas sábias palavras de Padre Pio, ou melhor, São Pio de Pietrelcina.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo