Epístolas 1, 2 e 3 de João - Semana Bíblica 2019

Por: Catequese


Autor:

São João, o Apóstolo muito amado de Jesus Cristo.

É um autor contemplativo, capaz de perceber a verdade através da vida cotidiana (luz e trevas, vida e morte, amor e ódio), o vocabulário é simples e rico de significados. Seu texto contempla a Verdade, o próprio Cristo.


Contexto:

As epístolas datam entre os anos 90 e 100 d.c. Primeiro, São João escreveu a 2Jo, em seguida, 3Jo e por fim, a 1Jo.

As epístolas estão relacionadas entre si, porque tratam sobre a Verdade e o mandamento do amor.

As epístolas foram escritas para fiéis convertidos do paganismo, que corriam perigo por parte de falsos pregadores da época, que desejavam quebrar a unidade existente entre Cristo-Deus e Jesus-homem. Ou seja, negavam que na Paixão, o Filho de Deus estava unido à humanidade de Cristo e, consequentemente, negavam que a redenção dos pecados havia ocorrido após o derramamento do sangue do Filho de Deus. Para esses hereges da época, diziam que Jesus era meramente um homem e que após o seu batismo, Cristo uniu-se a Ele. Possuindo assim uma ciência elevada e poder de fazer milagres. E que antes da Paixão, Cristo deixou Jesus.

Por isso, nos textos de São João, ele fala tanto da realidade da Encarnação, da identidade de Jesus Cristo-Filho de Deus e da Redenção mediante o sangue de Jesus.

O objetivo de João ao escrever, então, era expor a heresia dos falsos mestres e confirmar a fé dos verdadeiros crentes.


Destinatários:

1ª Epístola:

Destinada às comunidades cristãs da Ásia Menor ameaçados por heresias.

2 ª Epístola:

Foi escrita destinada à uma comunidade específica (eleita), que não é possível identificar, mas que o autor diz querer visitar em breve.

3 ª Epístola:

Dirigida à Gaio, um homem que tratou bem os pregadores da fé. Bem provável dele ser líder de alguma igreja na Ásia.


Conteúdo:

As cartas escritas por São João tem como principal objetivo nos lembrar sobre a vida eterna, que nos foi dada por Deus através de seu Filho, e sobre a importância de guardarmos Seus mandamentos.

Devemos amar as coisas de Deus, e não as coisas do mundo, pois o mundo passa, juntamente com seus males, mas quem cumpre a vontade de Deus permanece eternamente. Devemos ter cautela para não cair na sedução dos Anticristos, aqueles que negam o Pai e o Filho. Se cremos no nome do Filho de Deus, temos a vida eterna.

Somos mentirosos se:

· dizemos que estamos em comunhão com Deus, que é Luz, mas não andamos na luz;

· não nos reconhecemos pecadores;

· dizemos conhecer a Deus, mas não guardamos Seus mandamentos;

· dizemos que amamos a Deus, mas odiamos nosso irmão.

Quem observa Seus mandamentos permanece em Deus e Deus nele. Eis o Seu mandamento: que creiamos no nome do Seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros. Quem afirma permanecer em Deus deve também viver como Ele viveu.

Jesus deu Sua vida por nós. Portanto, nós também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos. Quem ama seu irmão permanece na luz. Aquele que não ama, não conhece a Deus, porque Deus é amor. Porém, não devemos amar apenas com palavras, mas concreta e verdadeiramente. Quem pratica o bem nasceu de Deus.


Atualidade da mensagem do escrito:

A verdade e os mandamentos de Deus devem ser sempre atuais em nossas vidas. Guardar e colocar em prática Seus mandamentos é uma necessidade contínua e devemos estar atentos a isto.

Se cremos em Cristo e O temos, devemos ser reflexos de Seu Amor na vida dos nossos irmãos, especialmente aqueles que mais necessitam. Mas, devemos refletir este Amor de forma concreta através das nossas vidas.

Amar nossos irmãos não apenas com palavras, mas estando atentos àqueles mais fragilizados, como os que passam fome e necessitam de ajuda para se alimentarem.

Contribuir para um mundo mais justo através de atos de caridade é uma forma de ser instrumentos do amor de Deus num mundo onde existem muitas seduções induzidas especialmente daqueles que não creem em Cristo, os Anticristos.


PARA CONHECIMENTO:

Epístola (do grego antigo ἐπιστολή, “ordem, mensagem”, pelo Latim epistòla,ae “carta, mensagem escrita e não assinada”) é um texto escrito em forma de carta, para ser correspondido a uma ou nenhuma, mas se distinguindo desta por expressar opiniões, manifestos, e discussões para além de questões ou interesses meramente pessoais ou utilitários.

Carta é algo mais pessoal, escrita diretamente a uma pessoa ou comunidade, sem uma finalidade ulterior. A epístola, ao invés, visa um público mais amplo; tem como objetivo não somente aquele público imediato, mas gostaria de ser difundida a toda os cristãos. Ou seja, a epístola era uma carta que tinha a ambição de ser amplamente difundida.


0 visualização

Fale Conosco

Rua José Higino, 120

Bairro Tijuca
Rio de Janeiro, RJ 20520-200

 

  • Facebook Social Icon

CURTA NOSSA PÁGINA!

© 2020 por Paróquia São Domingos de Gusmão - Tijuca (Pastoral da Comunicação)